domingo, 9 de novembro de 2008

PROPAGAÇÃO SIMBIÓTICA DE ORQUÍDEAS

É um processo de propagação natural das orquídeas em que o embrião das sementes é beneficiado pela ação de um fungo chamado micorriza, que vive em simbiose nas raízes de orquídeas adultas.

Fig.A - corte transversal de raiz de orquídea Gomesa crispa fig. E - hifa vegetativa.

Esse fungo possui ramificações ou filamentos chamados de hifas, que funcionam como uma extensão das raízes das orquídeas, ampliando a área explorada pela raiz e assim os nutrientes que recebe. Com a ajuda das hifas, por exemplo, o fósforo(P), que tem dificuldade em ser capturado pela planta por ser pouco solúvel e ter baixa mobilidade, é tranquilamente absorvido.

As sementes das orquídeas são desprovidas de alimento que mantém o embrião até a germinação completa e o desenvolvimento das raízes necessitando desta simbiose ou nutrição por parte deste fungo. A micorriza transforma a água e os detritos que são depositados nas raízes, das orquídeas adultas, em elementos nutritivos para que as sementes germinem, e produzam folhas, se tornando autotróficas. Em troca, depois que as sementes germinarem produzirão nutrientes que alimentam o fungo.


Essa simbiose, conhecida também como protocooperação (relação mutuamente vantajosa entre dois ou mais organismos vivos de espécies diferentes) é que permite a sobrevivência de ambos.
A cultura simbiótica foi a primeira a ser praticada pelos orquidicultores. As semeaduras consistiam em introduzir as sementes maduras sobre o substrato em que estava a planta mãe, provavelmente contaminada pelo fungo micorriza. É a técnica mais natural, simples e de menor custo. Outra vantagem é que as planta micorrizadas são normalmente mais fortes e mais resistentes a infecções que as cultivadas assimbioticamente. A desvantagem é que nem todas as sementes serão atacadas pelo fungo e pode haver ação de bactérias e outros fungos maléficos às sementes. Fatores que também afetam o sucesso desta simbiose é o excesso de defensivos e de adubos.

Abaixo está a descrição de um cultivo simbiótico descrito por um dos maiores estudiosos de orquidófilos Waldemar Silva.

Material:
1. Vidros ou recipientes plásticos redondos ou quadrados, com cerca de 20cm de largura por 10 ou 12cm de altura.
2. musgo branco ou sphagnum autoclavado ou fervido por 1hora durante 3 dias consecutivos.
3. pontas novas de raiz de orquídeas.
Método:
1. O sphagnum é espremido para sair o excesso de água e colocado nos recipientes ou vidros, enchendo-os um pouco acima do meio dos frascos.
2. Acrescentam-se então os pedaços de raiz de orquídeas entre o musgo ou por cima dele.
3. Devem-se cobrir os recipientes com placa de vidro ou plástico e deixar descansando por 8 a 10 dias em ambiente que haja luz.
4. Após esse período, é aberta a cápsula e espargida as sementes.
5. Cobrem-se novamente os frascos com as sementes.
Observação: é importante colocarmos pontas de raiz de orquídeas que se relacionem com as sementes que pretendemos cultivar. Após 2 a 3 meses teremos algumas sementes germinando.
O fungo micorriza tem grande poder de desenvolvimento, querendo contaminar outros vidros com ele, basta retirar o sphagnum do fundo do vidro onde as sementes estão germinando e misturá-los em ao novo meio.

Referências bibliográficas:
BENZATI, Roberta. Fungos: aliados ou inimigos? Como Cultivar Orquídeas. São Paulo, 2008. V. 34, p. 28-29
WALDEMAR, Silva. Cultivo de Orquídeas no Brasil. 6ª ed. Nobel. São Paulo, 1986. p. 87-89.
WATANABE, Denitiro, MORIMOTO, Márcia Sanae. Orquídeas Manual de Cultivo. 2º vol. AOSP. São Paulo, 2007. p.227-228.
http://www.damianus.bmd.br/Raises%20e%20Micorriza.htm
www.scielo.br/scielo.php?pid=S0100-06832005000200004&script=sci_arttext - 65k –

5 comentários:

Margranz disse...

Parabéns pela postagem e pelo Blog, muito interessante!:}

Angelo Francisco disse...

Parabéns querida e muito obrigado.
Estarei atento ao blog.
Beijo.

orquideas do vagner disse...

muito boa essa dica, só de ouve dizer que se reproduz orquídeas em laboratório, se fosse assim não haveriam orquídeas selvagens. vou tentar e coloco o resultado no meu blog.

wagner douglas disse...

olá, achei muito interessante esse método de cultivo, gostaria de mais informações, pois esse método mesmo que não se obtenha grande numero de plantas, se consegue um bom resultado, gostaria se possivel que entra-se em contato comigo, para que eu possa sanar algumas duvidas, desde já agradeço, wagner.

wagner douglas disse...

a meu msn é wagner._douglas@hotmail.com

obrigado!!!